PROAD - Relatório de Atividades 2015-2019

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2015-2019 - PROAD

 

Na Administração 2015-2019, a Pró-Reitoria de Administração e Finanças (PROAD) inaugurou um novo modelo de estrutura e de dinâmica organizacional, para melhor cumprir suas atribuições diante das mudanças no perfil institucional e do crescimento das demandas internas da UEFS.

Com o crescimento das atividades de ensino, pesquisa e extensão, incremento das demandas de recursos infraestruturais, novos serviços de apoio às atividades universitárias, sobretudo os relacionados a execução das políticas de acesso e permanência estudantil, a modernização da PROAD tornou-se um imperativo, o que já vinha sendo apontado em diagnósticos anteriores.

Por princípio, com plena participação das equipes, que foram atentamente, compreendemos e convencemos a Administração Superior da UEFS, da necessidade de ressignificação funcional da especialização funcional da PROAD, ressignificando seu protagonismo no apoio ao desenvolvimento organizacional e acadêmico da Universidade.

Essa modernização foi marcada pela criação da Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PGDP), reorganização de processos e da estrutura organizacional, implantação de novos processos, sistemas e setores internos, sempre com ênfase na otimização dos recursos disponíveis à melhor entrega de resultados à comunidade universitária.

Com grande entusiasmo e em pareceria com a Gabinete da Reitoria, criamos em 2017, a Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PGDP), um marco na história recente da UEFS, ressignificando as relações internas na área de Gestão de Pessoas. Os resultados mais visíveis dizem respeito à celeridade na tramitação de processos, na contratação de pessoal, na especialização funcional da equipe, no assessoramento à administração superior e à adstrita e aos servidores da Universidade. A PGDP, segue no seu caminho natural de crescimento e consolidação e conta com uma jovem equipe dinâmica, competente e motivada.

Outro feito importante, foi a redefinição de atribuições relacionadas ao processo de gestão orcamentária-financeira da Instituição, com a reorganização de atribuições de acompanhamento e controle de concessão repassados à Assessoria Técnica de Desenvolvimento Organizacional (ASPLAN). Isso permitiu maior rigor e controle do planejamento, da execução e do acesso à informação à tomada de decisão Institucional. Com a medida, a ASPLAN passou a exercer plenamente sua função de gestora orçamentária da UEFS, dinamizando e apoiando de forma competente e responsiva, a execução do orçamento.

Adequação física de parte de seus setores para o espaço que pertencia a Comissão de Seleção e Admissão (CSA), no segundo piso do Prédio da Administração Central, foi outra medida de impacto nas rotinas da PROAD. Com um novo leiaute, O novo leiaute trouxe ainda, o estreitamento das relações com a Assessoria de Desenvolvimento Organizacional (ASPLAN) -  que desempenha excelente trabalho na gestão orçamentária - uma vez que o gabinete da PROAD, passou a situar-se, também, no segundo piso. Isso consolidou a dinâmica de condução do ciclo orçamentário-financeiro da Instituição, com maior celeridade e entrosamento entre as equipes

Neste sentido, o escopo de atuação da PROAD, entre 2015-2019, se intensificou em competências centrais estratégicas à Instituição, quais sejam: o planejamento, a direção, organização e o controle de processos: de aquisição materiais, de materiais, de patrimônio, de contratos e convênios, e financeiro-contábil.

Além disso, a PROAD forneceu subsídios (dados e informações) para elaboração da peça orçamentária de custeio e investimento da Instituição para o exercícios de 2015-2019, com base nas projeções resultantes do módulo de demandas do SITIENS e as expectativas de atendimento.

Atualmente, a PROAD é composta pelas seguintes unidades: Gerência Administrativa (GERAD); a Gerência de Finanças e Contabilidade (GEFIN); Gerência de Apoio à Contratos e Convênios (GACC); Coordenação de Licitações (CLIC) e o Posto Avançado de Cadastro de Fornecedores (PCF).

Cabe destacar por fim, que vivenciamos o cenário de complexidade e crise econômica-financeira porque atravessa o país, incluso o período de 2015-2019, cortes de concessão financeira, contingenciamento operacional de despesas, excessivo  e pouco criterioso controle de gastos públicos por parte do Governo do Estado da Bahia e, da intensificação de ações de auditoria externa. Tais medidas  implicaram, na prática, na redução da autonomia das universidades estaduais. Diante destas dificuldades, coube à PROAD orientar-se pela postura de austeridade e diálogo com as demais unidades, buscando soluções de gestão à fazer frente ao enfrentamento das adversidades, através da priorização de despesas e da contenção de gastos.

Recomendar esta página via e-mail: