Notícias

26/03/2020 09:30

Uefs integra rede de atendimento do Tele Coronavírus 155

Diante de um cenário atípico, com a propagação do coronavírus, a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) evidencia o seu caráter extensionista participando da ação Tele Coronavírus 155. De acordo com a coordenadora do curso de Medicina, Mônica de Andrade Nascimento, “nela acadêmicos das séries finais do curso de medicina esclarecem dúvidas da sociedade civil e oferecem um serviço de triagem indicando se a pessoa com sintomas precisa ir a emergência ou se deve manter-se em distanciamento social”.


Segundo Mônica Andrade, “os acadêmicos têm assim a oportunidade de serem atuantes em um contexto atípico e aprenderem precocemente a enfrentar qualquer desafio que possa ser imposto ao longo do seu exercício profissional”. Além disso, um grupo de professores experts em procedimentos de emergência, estão organizando um curso de manejo de vias aéreas em Sars-cov 2 para treinamento de profissionais da rede que atuarão na assistência desses pacientes.


Ana Carolina Assunção, estudante do quinto ano do curso de Medicina da Uefs, destaca “a importância desse tele atendimento para a formação acadêmica, já que abrange aspectos desde a atualização científica, por meio de diversos materiais como artigos, protocolos e fluxogramas do MS e da literatura científica mundial, como também a prática da empatia, sentimento tão importante e que deve ser inerente à prática médica. Assim, nossos atendimentos visam o máximo respeito à vida e dignidade de cada pessoa”.


Implementado com o objetivo de prestar orientação e esclarecimentos à população, com rapidez e agilidade, durante a pandemia do novo coronavírus o Tele Coronavírus 155, funciona das 7h às 19h, é um serviço idealizado pela Fiocruz e Ufba, com apoio do Governo do Estado, por meio das secretarias de Saúde (Sesab), de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), do Planejamento (Seplan) e da Infraestrutura (Seinfra); e com a adesão das quatro universidades estaduais (Uneb, Uesc, Uefs e Uesb), a Escola Bahiana de Medicina, a FTC Salvador, a Unifacs, a UFRB, a UFSB e a Fesftech, esta última responsável pelo desenvolvimento da plataforma que será alimentada pelos voluntários. Os estudantes das instituições citadas, bem como os médicos supervisores, serão certificados pelo serviço.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.