PROPOSTA DE IMPLANTAÇÃO DA INFORMÁTICA

EDUCATIVA NA ESCOLA PÚBLICA.

 

 

 

 

 

 

DISCIPLINA : software EDUCATIVO

 

PROFESSOR : FÁBIO FERRANTINI

ELABORADO POR : ADRIANA MARMORI

BRÍGIDA FREITAS

ÉDILA CORTES

ENIETE CRUZ

IZOLDA MAIA

KÁSSIA MACEDO

 

NTE : BARREIRAS-BA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

 

 

A sociedade contemporânea está passando por transformações significativas em virtude dos avanços tecnológicos. Essas mudanças refletem diretamente no setor educacional, que para acompanhar tal desenvolvimento, necessita modificar seu paradigma pedagógico.

Neste contexto não é admissível o ensino "bancário" onde o aluno é um mero receptor de informações, esquecendo-se do seu próprio desenvolvimento bio-psico-social

enquanto sujeito integrante de um cultura.

Urgentemente, faz-se necessário a implementação de uma pedagogia dinâmica, onde o aluno seja o construtor de seu próprio conhecimento, tendo o professor como orientador que incita o desejo de buscar, ardentemente, respostas para questões substanciais.

Aliado a esse "fazer", o educando é convidado a analisar e refletir sobre as situações que o cerca.

Os instrumentos tecnológicos disponíveis no mercado, principalmente o computador, estão conquistando espaço nos diversos segmentos sociais. A escola como propagadora do conhecimento deve mediar o acesso a informação utilizando-se deste instrumento multisensorial- o computador- capaz de promover a interação entre o aprendiz e o objeto do conhecimento, gerando dessa forma um processo contínuo de ação-reflexão-ação.

A utilização dos recursos multimídias subsistentes no computador, dará suporte aos alunos e professores nessa interatividade, tornando-os agentes reflexivos dentro do processo ensino-aprendizagem.

Este projeto vem atender essa expectativa, propondo atividades multidisciplinares, despertando o aluno para o ato de aprender.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONTEXTUALIZANDO A PROPOSTA

 

 

 

Após estudo correspondente a 30h (trinta horas) da disciplina Softwares Educativos, foi sugerido pelo professor Fábio Ferrantini, a elaboração de um a proposta de Informática Educativa, levando em consideração os seguintes fatores fictícios:

  1. Recebimento de 5 computadores e um vídeo de 29 polegadas para um grupo de cinco professores de áreas distintas : Português, Ciências, História e Geografia.
  2. Falta de compromisso da direção da escola, com relação ao trabalho no campo da informática educativa.
  3.  

  4. Clientela envolvida : alunos de 5ª a 8ª série do 1º grau.

 

 

Considerando os critérios acima mencionados,e partindo do pressuposto de que

"quanto mais complexas e variadas forem as relações estabelecidas entre o novo conteúdo da aprendizagem e os elementos já presentes na estrutura cognoscitiva do aluno, mais profunda será sua assimilação e maior será a significatividade da aprendizagem"( Coll , 1996). Surge , a necessidade de enriquecer esse processo de construção do conhecimento, a partir de ajustes pedagógicos advindos de uma proposta de informática educativa comprometida com a melhoria do ensino público .

Portanto, elaboramos uma proposta, tendo como escopo a introdução tecnológica utilizada recentemente na atual conjuntura social, com intuito de tornar atrativo e de fácil assimilação o processo ensino-aprendizagem.

A proposta foi embasada em alguns autores como : VALENTE, SEYMOUR PAPERT

e VITALE , Heloisa que defendem a importância de inserir os mais novos tipos de instrumentos tecnológicos no contexto escolar, visto que, a mesma não deverá ficar estanque às mudanças sociais.

Acreditamos que as ferramentas tecnológicas (computador, vídeo, tv...) não irão oferecer soluções milagrosas para as dificuldades detectadas no ambiente escolar, mas contribuirão de forma significativa no processo de desenvolvimento intelectual dos alunos, bem como servirão de suporte para nova concepção dos docentes sobre educação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OPERACIONALIZAÇÃO

 

 

 

Procurar entender como intervir de forma eficaz no processo de aprendizagem dos alunos tem levado inúmeros professores a diversas alternativas metodológicas.

Esta proposta preocupa-se principalmente em construir ações que realmente sejam significativas tanto para a formação de professores quanto ao desenvolvimento integral dos alunos, baseando-se na utilização da informática voltada para o processo educativo, o que não deve ser confundida com a simples informatização da escola.

A concretização dos objetivos iniciais, obedece a três etapas distintas ,embora corelacionadas :

 

1ª ETAPA - ANÁLISE REFLEXIVA DA PROPOSTA

 

Nesta etapa, o grupo de professores envolvidos , estará semanalmente reunindo-se

nos horários de AC (atividades complementares) para estudos sobre : as concepções de ensino-aprendizagem nas diversas teorias do conhecimento, a evolução dos métodos e instrumentos de ensino utilizados para promover a educação no contexto sócio-histórico

brasileiro, as ciências e suas contribuições didáticas.

Acreditamos que tais reflexões são importantes para a mudança de paradigmas

tradicionais, possibilitando aos professores tomarem posturas condizentes com a realidade

que trabalham e buscarem os meios tecnológicos como instrumentos de apoio e enriquecimento de suas aulas, e ainda que valorizem atualização constante como base para a melhoria do seu trabalho .

 

ETAPA - PLANEJAMENTO MULTIDISCIPLINAR PARTICIPATIVO

 

 

Baseando-nos em diversos trabalhos interdisciplinares de ensino , Ivani Fazenda

(1992) traz sua contribuição quando afirma que "Aprende-se com a interdisciplinaridade que um fato ou solução nunca é isolado, mas sim consequeência entre muitos outros".Partindo deste contexto, esta segunda etapa é marcada pelo planejamento das atividades que serão desenvolvidas ao longo de uma unidade letiva, tendo como eixo central um tema significativo com possibilidade de abrangência nas áreas de Português, História, Geografia e Ciências.

A consciência de interatividade com diversas áreas do conhecimento possibilita

perceber com maior lucidez as interfaces da internet que nos oferece através da comunicação virtual a leitura e produção de hipertextos. Esta visào pode contribuir

para desmistificar visões apáticas e resistentes em relação á informática educativa (ex: direção).

 

 

 

3ª ETAPA : EXECUÇÃO DA PROPOSTA : AÇÃO, AVALIAÇÃO,

REALIMENTAÇÃO, AÇÃO...

 

Escolhidos os conteúdos significativos entre os professores do projeto, elaborado aulas dinâmicas e contextualizadas; partimos para a 3ª etapa, a ação propriamente dita.

Vale ressaltar que a organização dos trabalhos em grupos de alunos é fundamental

pois " o grupo enquanto tal é o centro desse processo de comunicação e de formação", a

partir dele que as construções coletivas favorecem as individuais e vice-versa.

Durante a ação faz-se necessário também avaliar se as etapas anteriores contri-

buiram para a prática e quais ajustes precisam ser feitos tendo em vista os objetivos da

proposta.

 

SISTEMATIZAÇÃO :

 

1º ) Escolha de quatro turmas (voluntariamente) para desenvolvimento da proposta

5ª a 8ª série do ensino fundamental.

2º) Organização dos grupos de alunos pelos professores (5 componentes).

3º) Lançamento do desafio aos grupos de alunos , que consiste em :

Apresentar no final da unidade um texto1 sobre o tema estudado nas disciplinas Potuguês, ciências, História e Geografia, que será apresentado com a utilização de multimeios ( tv. Vídeo, computador, telão ...) a comunidade escolar.

 

4º) Divulgação do cronograma de visitas pelos grupos , ao laboratório de informática

no turno oposto e respectivo professor acompanhante.

 

 

SUGESTÃO DE ATIVIDADES QUE PODERÃO SER DESENVOLVIDAS NO LABORATÓRIO :

 

 

5º) Apresentação dos resultados no final da unidade, em forma de exposição pelos

alunos com o apoio dos professores.

 

 

6º) Paralelo a esta ação, faz parte também da proposta a realização de uma pesquisa junto aos alunos de 5ª a 8ª séries das classes que não foram beneficiadas, com o objetivo de :

 

 

1 . Texto entendido como qualquer objeto do conhecimento que pode ser lido, interpretado.

 

no processo de implantação desta tecnologia à educação,

 

 

 

 

 

CONCLUSÃO

 

 

 

 

Responder positivamente às exigências atuais da sociedade é necessário desolar as antigas práticas pedagógicas de forma que possa ressurgir a cada momento indivíduos capazes de restaurar a ordem social vigente. Acreditar nesta perspectiva é considerar a multiplicidade de visões de mundo como condição se nequanon para a construção de um pensar coletivo-indivíduos interagindo no grupo e com o grupo.

A presença ddo computador pode plantar sementes, que conseguiriam gerar uma cultura epistemológica menos dissociada neste novo paradigma (Papert, Seymour, 1985).

A qualidade do desenvolvimento e disseminação da informática educativa nas escolas públicas, dependerá da perspicácia do professor em utilizar o computador em sala, considerando-o como ferramenta a mais, ou seja, um meio e não um fim em si só no

processo ensino-aprendizagem.

No transcorrer das atividades educativas é primordial a observação direta, a análise dos trabalhos e participação dos alunos. E ainda, se faz necessário que ocorra com os envolvidos na proposta, uma auto-avaliação visando a concretização dos objetivos propostos.

Após a primeira etapa da avaliação, a equipe de professores envolvidos apresentariam o resultado final do projeto ( a primeira utilizando o computador e a segunda , sem o auxílio do computador). Posteriormente abriria um espaço para oportunizar aos não engajados, principalmente o corpo administrativao (diretor) de expor suas opiniões a respeito dos trabalhos realizados, levando-os a fazer uma auto-avaliação da sua postura enquanto educador.

Por ser a escola uma instituição democrática deixaria a cargo destes professores a tomada de decisão em participar na construção de um pensar coletivo possibilitando o desenvolvimento do ser humano capaz de auto-gerir sua própria vida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OBJETIVOS

 

 

 

 

 

GERAL :

 

Promover a reestruturação e operacionalização do ensino fundamental de 5ª a 8ª

séries, voltado para a utilização dos instrumentos tecnológicos como mediadores do

trabalho multidisciplinar.

 

 

ESPECÍFICOS :

 

 

  1. Realizar encontros com os professores para análise reflexiva sobre a fundamentação teórica da proposta e planejamento das atividades.

 

  1. Articular o uso do computador por grupos de alunos incentivados pelas

atividades curriculares desenvolvidas em classe.

 

  1. Acompanhar e avaliar as aplicações da informática educativa junto às

disciplinas envolvidas (Portugu6es, Ciências, História e Geografia).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ANEXO 1

 

 

 

 

 

Este exemplo de atividade não se trata de uma receita pronta e acabada para ser

praticada na íntegra, mas trata-se de um referencial para a construção e elaboração de outros "micromundos", condizentes com o contexto em que a proposta for desenvolvida.

 

 

 

TEMA CENTRAL : Ecologia

OBJETIVO GERAL : Oportunizar aos grupos de alunos, a ampliação

dos conhecimentos sobre o tema ecologia, bem como

a construção de hipertextos e a ação consciente no

meio em que vive.

 

DISCIPLINAS :

 

Português - Trabalho com multiplicidade de textos sobre o tema (jornais,revistas,

livros, narrações, panfletos, fotografias, histórias em quadrinhos...)para

análise da estrutura física, análise morfológica e sintática; Produção

textual.

 

Ciências - Cadeia alimentar

 

Geografia - Os efeitos causados pelo desmatamento e industrialização à natureza

( rios , terra , homem)

História - As modificações da natureza através da ação do homem na linha do

tempo , na região.

 

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

 

COLL, César. Psicologia e Currículo

FAZENDA, Ivani. Interdisciplinaridade

PAPERT, Seymour.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Este exemplo de atividade pode servir de referência para a elaboração de outros

"micromundos". Não se trata de uma receita para ser reproduzida mas abre um leque

para novas criações.

 

 

Tema Central :

 

ECOLOGIA