PROTOCOLO RIO SUBAÉ

 

            É um instrumento regimental coletivo voluntário, que se propõe planejar, executar e somar práticas socio-ambientais em defesa do Meio Ambiente e da qualidade de vida dos habitantes da bacia hidrográfica do rio Subaé e seu entorno, com a iniciativa da Fundação Ecológica Buriti(FEB), apoiada por todos que direta ou indiretamente desejam participar das atividades,contribuindo quando possível com críticas construtivas, propostas e projetos.

 

OBJETIVO :

            Planejar, discutir, aprovar executar e avaliar anualmente propostas e projetos socio-ambientais com sustentabilidade prática, proporcionando qualidade de vida a todos os seres que habitam a Bacia Hidrográfica do Rio Subaé e seu entorno.

 

BACIA DO RIO SUBAÉ

           A bacia hidrográfica do rio Subaé é formada por sete municípios : Feira de Santana, São Gonçalo dos Campos, Santo Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, São Sebastião do Passe, Amélia Rodrigues e Conceição do Jacuípe. Possui uma população de 731..750 habitantes e uma extensão territorial de 655 quilômetros quadrados envolvendo  zonas Rurais, Urbanas e Industriais.

           O rio Subaé origina-se nas nascentes da Lagoa do Subaé às margens da cidade de Feira de Santana, possuindo uma extensão de 55 quilômetros. Seus principais afluentes são:

Margem direita: Rio Sergi, rio Pirauna, rio da Serra) e rio Serji-Mirim.

Margem esquerda : Rio Traripe e rio do Macaco.

           Sua desembocadura (foz) está localizada no Município de São Francisco do Conde na Bahia de todos os santos em frente à Ilha de Cajaíba.

           A ocupação econômica da bacia hidrográfica do rio Subaé teve início no séc.XVI e XVII após a extração criminosa e irresponsável da  madeira de lei nos municípios do recôncavo norte que era abundante e com a sua  escassez deram inicio aos novos ciclos predatórios com  desmatamentos  desordenados para instalar a Agricultura canavieira, seguida de uma Pecuária também desprovida de conhecimentos técnicos preservacionistas(Educação Ambiental), causando impactos ambientais até os dias atuais nas nascentes, lagoas, riachos e rios da  bacia hidrográfica do rio Subaé e seu entorno.

           Os seres humanos aglomeram-se nas Cidades, distritos e povoados de forma desordenada degradando, poluindo, contaminando e extinguindo as nascentes, lagoas, riachos e rios, causando impactos ambientais catastróficos e deprimentes. Será que somos racionais ? Se é que somos,  o que estamos conservando, protegendo no nosso Meio Ambiente para as  futuras gerações ? Como as futuras gerações vão sobreviver ? Que tipo de alimentação podemos sugerir ? Salada de Agroquímicos xxxxxxxxxxqualidade de alimento podemos  Ou estou sendo um dos malfeitores que  inconscientemente

           

 

           Impactos Ambientais Rurais :

            A agropecuária da bacia hidrográfica do rio Subaé e seu entorno teve inicio no município de Santo Amaro da Purificação e depois expandiu-se para todos os demais municípios com o cultivo empírico  escravagista e colonialista  da cana-de-açúcar, sem dar a menor importância à preservação das matas ciliares nas nascentes, lagoas, encostas, riachos e rios, destruindo-se até os dias atuais, mais de 90% das riquezas naturais. A escolha das áreas a serem agropecuarizadas era e ainda é feita sem respeitar nascentes, lagoas, riachos e rios, desmatando impiedosamente e extinguindo brutalmente as espécies nativas da FAUNA regional, através da caça e da pesca predatória. 

                Os tratos culturais e o combate a pragas e algumas doenças após a segunda guerra Mundial passou a ser feitos com a utilização de AGROTÓXICOS, Adubos Químicos e sementes, que obrigatoriamente teriam que ser adquiridos pelos produtores rurais porque faziam parte do pacote técnico e os recursos do projeto estavam condicionados a aquisição destes venenos(apelidados de defensivos).

                Desinformados, produtores e consumidores convivem até os dias atuais manipulando e consumindo direta e indiretamente venenos que matam imediatamente a fauna microbiana dos solos, fungos, bactérias, insetos e pequenos animais e pelo seu poder de acumular nos organismos vivos, vai matar ao longo dos anos todos que fizerem uso dos produtos por eles contaminados. 

                  Hoje sabemos que os AGROTÒXICOS  são  venenos de alto poder de destruição de seres vivos, introduzidos pela  industria química bélica de paises de primeiro mundo para continuar lucrando com suas drogas pesquisadas para matar seres humanos na segunda guerra mundial e apenas desviaram o foco apelidando-os de defensivos Agrícolas introduzindo-os nos paises menos desenvolvidos(Sem Educação Ambiental) para matarem(arvores, insetos, microorganismos, bactérias, fungos etc.) e também os seres humanos em doses homeopáticas devido ao poder residual acumulativo nos organismos.   

                  Quando ingerimos alimentos que foi aplicado AGROTÓXICO(veneno), a dosagem para matar insetos, fungos e bactérias não mata um ser humano pela diferença de peso, mais com o consumo repetitivo(Produtos hortigranjeiros) a droga vai se acumulando na corrente sanguínea, nos nervos e neurônios, e quando atinge seu limite agride violentamente qualquer órgão fragilizado ou menos resistente do organismo humano, provocando distúrbios em forma de doenças as mais diversas(Câncer de mama de próstata, diabetes,  hepatites, artrites, artroses nos membros e coluna vertebral, osteoporose, alergias, insuficiências em todos os órgãos do corpo etc.).

                 Os AGROTÓXICOS são venenos apelidados comercialmente de “Defensivos Agrícolas” nunca são culpados porque os resultados dos exames de rotina não apontam a causa e sim o efeito. E o mais interessante é que o portador da droga acumulada não acredita porque acha que já se alimenta a tanto tempo e nunca aconteceu nada. Porque só agora veio acontecer? Não entendem que as drogas possuem um efeito acumulativo e ao estabelecer uma correlação com membros da família ou amigos que sempre se alimentaram das mesmas iguarias pensam e porque  só com ele veio acontecer? Sem saber que cada organismo é diferente um do outro, e suas defesas imunológicas também são, daí um é agredido de uma forma outro já é de outra, confundindo mais ainda a cabeça dos menos informados favorecendo a permanência das aplicações maciças de venenos(AGROQUÍMICOS)nas culturas comerciais provocando elevados índices de mortalidade na população anualmente. 

              Quando um ser humano falece o atestado de óbito consta apenas a causa morte. Não consta o que causou a causa morte continuando todos sempre enganados com os venenos (AGROQUÍMICOS) e eles matando silenciosamente a nossa população.

 

          

 

 

  Impactos Ambientais Urbanos:

             Iniciou-se também em Santo Amaro da Purificação no final do Século XV com os desmatamentos das margens do rio Subaé naquela localidade para dar lugar às residências dos Senhores de Engenhos e Coronéis exploradores das nossas riquezas naturais. Quando o primeiro saveiro chegou com mercadorias trazidas da província de São Salvador o comandante da embarcação admirado com as belezas naturais e encantado com a pureza das águas do rio Subaé empolgou-se ingerindo doses excessiva de cachaça durante o descarrego da embarcação, esquecendo-se na mesma, uma das encomendas do senhor de engenho Sr. Manoel, um grande peixe de águas salgadas(vermelho), de aproximadamente 28Kg enrolado nas palhas de bananeira e no dia seguinte teve que atira-lo nas águas do rio Subaé, provocando assim o segundo impacto ambiental e o terceiro foi quando o senhor Manoel inaugurou a descarga do seu banheiro, canalizada diretamente para o leito do rio Subaé. Iniciando-se os impactos ambientais, sem racionalidade, sem limites, sem piedade, sem compromisso com o passado, presente e muito menos com o futuro.    

           Os impactos Ambientais produzidos pela sociedade são frutos de uma cultura Secular exploratória perversa e covarde estimulando os indivíduos a sacrificar sua própria família comprometendo seus descendentes sua região e nação para manter-se no poder(Políticos profissionais). Resistindo a séculos a implantação de uma política de Educação Geral e Sócio-ambiental séria em todos os níveis, apenas pelo receio de perder o poder, trunfo importante para acobertar e facilitar a corrupção:

            Sufocam e amordaçam  a população com a falta da educação formal, especial e ambiental, impedindo o desenvolvimento do senso crítico, da cultura, do esporte e do lazer.

            Imobilizam  a sociedade inteira com a má distribuição da renda, oferecendo uma precária assistência sócio-cultural, gerando desemprego, fome e proporcionando  conflitos sociais, desencadeando uma série de desajustes, retirando progressivamente a segurança, a liberdade, incentivando com a impunidade o desrespeito generalizado entre os cidadãos e familiares.

            Confortam e Acalentam sempre com os mesmos disfarces de que já encontrou irregularidades, mas todas serão apuradas na justiça e nunca se apura nada, em seguida apresentam alguns projetos faraônicos, utópicos, e outros assistencialistas como malha fina no imposto de renda, ver algumas aposentadorias irregulares, INSS saqueado, sestas básicas mal distribuídas,  estoque de alimentos apodrecendo, bolsa renda para quem já tem renda, bolsa escola para quem não vai na escola, transporte escolar para conduzir em pau-de-arara etc.

               Os impostos continuam cada dia mais caros e numerosos, as escolas, praças e jardins, descuidadas, sem conforto ambiental as ruas desarborizadas, sem saneamento básico, professores mal qualificados, mal remunerados e descontentes, os transportes coletivos caros, desconfortáveis e poluidores, os hospitais desaparelhados e carentes de técnicos qualificados, os alimentos contaminados com agrotóxicos, a água mineral mais cara que o leite.

           O crescimento desordenado das cidades sem plano diretor seguindo apenas a vontade de meia dúzia de políticos profissionais que visam apenas alimentar-se no poder durante seus mandatos, facilitando invasões dos  espaços físicos e nobres do ponto de vista da beleza natural, da segurança e da melhoria da qualidade de vida (nascentes lagoas riachos, rios e encostas) em detrimento da população que paga impostos e vê seus serviços essenciais(Água, esgoto e Energia), caros, raros, impactantes e ineficientes, os patrimônios públicos serem invadidos como estivessem sendo loteados pelos poderes públicos, sem nenhuma resistência dos dirigentes para conter estes crimes ambientais em áreas de preservação natural impróprias  para moradia(lagoas, riachos, encostas e rios) e os dirigentes fazendo olhos grossos para não enfrentar o problema social daqueles mais carentes, sempre colocando a culpa nas administrações anteriores e deixando os problemas para os próximos administradores resolverem. Este jogo sujo e covarde fica mais evidente quando os administradores se reelegem porque os invasores já sabem que não irão ser repelidos nem responsabilizados ai os patrimônios públicos municipais se transformam num verdadeiro loteamento com a conivência da grande maioria.

                  Desta forma extingue-se paulatinamente os patrimônios públicos formados pelas reservas hidro-ecológicas transformando-as em favelas, aumentando as moradias sem as mínimas condições de higiene, ocasionando um maior número de atendimento nos hospitais públicos, com os surtos de doenças contagiosas, facilitando o esconderijo de traficantes, agressores, viciados, desempregados, alcoólatras etc.

                A exemplo das sessenta Lagoas e os duzentos olhos d’água extintos em Feira de Santana sem a mínima reação da população nem dos poderes públicos dando assim uma prova inconteste da força cultural predatória impregnada na sociedade como um todo.

                Atualmente a população Feirense assiste pacificamente o grande mutirão pela extinção da Lagoa do prato raso e do ôlho d’água “Fonte do Lili”,  pelos especuladores imobiliários, comerciantes e população carente, com o apoio da Prefeitura Municipal drenando e permitindo o abite-se, a Coelba vendendo sua energia, a Embasa vendendo sua água tratada e a população perdendo seus patrimônios, suas  belezas naturais  e a sua qualidade de vida.

                 Qual foi o administrador que após seu mandato voltou para reparar algum dano causado por ele e sua equipe à comunidade que o elegeu ?

                    Desta forma as cidades pertencentes a bacia hidrográfica do rio Subaé contribuem diretamente com o aumento crescente dos impactos ambientais por falta de informação e de Educação Ambiental para todos. 

          

Impactos Ambientais Industriais:

            As industrias são parceiras no contexto socio-ambiental em virtude da capacidade de transformar matérias primas em produtos de importância econômica e social gerando empregos aumentando a renda do Estado, da União e dos familiares da nossa região.    

            Entretanto as causas referentes aos impactos ambientais produzidos pelas Industrias da bacia hidrográfica do Subaé ainda não foram discutidos no campo da Educação Ambiental, devendo reconhecer a importância de um meio ambiente saudável para todos, observando os seguintes princípios básicos:

A-    Quem não suja não precisa limpar.

B-    Quem usa o vaso sanitário da  descarga.

C-    Quem produz resíduos cuida deles.

D-    Quem tem dá e quem não tem aprende a ganhar e conservar.

E-     Selecionar é melhor para armazenar.

F-     Reciclar é transformar para reutilizar.

 

             Através da Educação Ambiental elimina-se gradativamente as práticas impactantes e anti-sociais, aumentando a produtividade e a credibilidade das Indústrias, em função dos  benefícios diretos aos funcionários e indiretos aos seus familiares e a comunidade da seguinte forma:

 

A)    Diminuição dos afastamentos por problemas de saúde.

B)     Aumento da vida útil dos equipamentos (Educação Ambiental).

C)    Utilizando tecnologias limpas para o reaproveitamento dos resíduos industriais gerando receitas para manter as atividades esportivas, recreativas e culturais dos funcionários .

D)    Tornando-se uma parceira vital ao invés de uma exploradora temporal da sociedade.

              E)Proporcionando maior qualidade de vida a todos e aumentando seus rendimentos Industriais.

                Desta forma todos ganham e o Meio Ambiente agradece.        

                   A lei Federal dos crimes ambientais é de nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998.        Decreto nº 3.179, de 21 de setembro de 1999. É dever de todos respeita-la e cumpri-la.

                 A falta de cultura destrói a humildade a ganância destrói a sensibilidade, o egoísmo destrói a liberdade, o vício destrói a juventude e todos juntos destroem a sociedade.

                 Sem Educação Ambiental e desinformada a população não percebe as perdas Ambientais e não exigem seus direitos. Os governos não coíbem as invasões para não serem impopulares ou por falta também de Educação Ambiental, chegando ao extremo de transformar invasão em doação, permitindo moradias irregulares em locais insalubres extinguindo-se gradativamente os patrimônios públicos da população(Nascentes, lagoas riachos e rios), mesmo sendo protegidos por lei, são agredidos diuturnamente em detrimento da qualidade de vida da população.

                Todos sabem que uma criança ao nascer em um local insalubre, impróprio a convivência humana desprovida de condições mínimas de higiene, lazer e convivência social pacífica, dificilmente será um cidadão sadio, alem de ser sempre um indivíduo considerado socialmente marginal o que contribuirá para ser um cidadão revoltado pela condição de marginalidade que a sociedade lhe rotula e a revolta gera conflitos e desajustes irreparáveis na vida do cidadão. Os abutres sociais(políticos partidários) querem que esta situação se perpetue para baratear os custos da sua mercadoria (voto). Pois todos sabemos que o voto de um favelado é igual ao voto de um Universitário daí a nossa pergunta :Qual é o mais barato. Criar uma favela ou  uma universidade ?

              Apesar de tudo ainda achamos que vale a pena lutar pelo futuro da espécie humana e das demais espécies da bacia hidrográfica do rio Subaé e seu entorno, porque temos umas paginas  de história  de vida neste pais e algumas sementes de belezas naturais, apesar de desfiguradas e ofegantes, estamos unidos por um fio de esperança que nos dar forças para alimentar nossos desejos.

               Na certeza de que juntos venceremos esta guerra com sacrifício extremo, enfrentando até mesmo a resistência de avos, pais, irmãos, filhos e amigos descrentes nas mudanças socio-ambientais pela força da cultura predatória, instalada a séculos em nossa região, mas com fé em Deus, na união entre os homens, na justiça social e na Educação Ambiental, haveremos de vencer todas as batalhas não importa quando, o que mais importa é que cada um lute dando seu exemplo cidadão e fazendo a sua pequena parte.

 

 

 

 

REGULAMENTO DO PROTOCOLO RIO SUBAÉ

 

       Objetivo: Estabelecer limites para estimular competições saudáveis com regras práticas, participações democráticas, voluntárias e dinâmicas, obedecendo os princípios básicos da Educação Ambiental.

 

$ Iº- Criar no dia 10 de dezembro de 2005 em São Gonçalo dos Campos uma comissão organizadora voluntária Regional, formada por representantes de cada município, obedecendo o critério mínimo de participantes em função da população de cada Município da bacia hidrográfica do rio Subaé e seu entorno presentes e interessados a participar respeitando as regras deste regulamento e sugerindo alterações quando achar oportuno e necessário. A Fundação Ecológica Buriti será sempre representada por um dos seus diretores com direito a voz e voto, por ter sido ela a idealizadora do Protocolo rio Subaé.

 

$ IIº- Cabe a Comissão Organizadora Voluntária Regional do Protocolo rio Subaé, receber inscrições, cadastros, propostas e projetos das  entidades organizadas diretamente ou através das Comissões Organizadoras Voluntárias Municipais(quando criadas e apresentadas), programar reuniões ordinárias para o ano de 2006 e criar uma Comissão Julgadora Voluntária Regional para atualizar, acrescentar, retirar, reformular, avaliar, pontuar, selecionar e classificar os Municípios pelas ações práticas executadas e relatadas por pessoa física desde que seja avalizada ou certificada por(OGs. e ONGs.)do seu Município devidamente cadastrada junto à Comissão Organizadora Voluntária Regional e por todas (OGs. e ONGs.) devidamente cadastradas. A Comissão Julgadora Voluntária Regional será formada por Professores e técnicos das (OGs. e ONGs.) responsáveis pela melhoria da qualidade de vida dos que habitam esta região, pertencentes as diversas áreas técnicas : Medicina Humana; Direito; Agronomia; Medicina Veterinária; Engenharia Civil, Ambiental, Florestal, de Pesca, Sanitária; Pedagogia; Biologia;  Geografia; Geologia; Botânica; Odontologia; Jornalismo; Musicologia; Museologia; Sociologia; Arquitetura; Artes plásticas; Educação Física e Professores das diversas modalidades esportivas : Natação Capoeira, Tênis, Caratê etc.  Obedecendo o princípio básico da proporcionalidade per - capta Sendo formada a Comissão Julgadora Voluntária com pelo menos um membro de cada Município.

 

$ IIIº- A comissão  Organizadora Voluntária Regional deverá ser formada por Coordenadores das Comissões Voluntárias Municipais apresentada e empossada no dia 05 de junho de cada ano, podendo serem reeleitos os representantes de acordo com as decisões de manutenção do cargo de coordenador Municipal ou com a apresentação de outro membro para substitui-lo na Comissão Voluntária Regional.

 

IVº- Os membros da Iª Comissão Organizadora Voluntária Regional provisória  do Protocolo rio Subaé se encarregarão de formar as  Comissões Voluntárias nos seus Municípios  para serem reconhecidas e oficializadas no dia 5 de junho de 2006, com o objetivo de facilitar os contatos, filiar e receber os trabalhos dos filiados das (OGs. e ONGs.) e encaminha-los à Comissão Regional nas datas pré-estabelecidas. Assim como propor aos presentes a escolha do município que sediará o encontro do dia 5 de junho de 2006(Dia mundial do meio Ambiente), sugerindo uma pequena programação: Apresentação oficial das Comissões Organizadoras Municipais e Regional; Oficinas para  instruções de como elaborar Propostas e Projetos nos diversos segmentos Ambientais :Setor Rural ( Educação Ambiental enfatizando a Agroecologia; Setor Urbano (Educação Ambiental enfatizando a Cultura o Esporte a  Saúde e o Saneamento); Setor Industrial( Educação Ambiental Tecnologias Limpas e Reciclagem).

 

 $ Vº-As entidades que desejarem participar do Protocolo rio Subaé no ano de 2006, deverão se inscrever junto à Comissão Organizadora Voluntária Regional diretamente ou através do seu representante Municipal, nos Municípios que ainda não dispuserem de uma Comissão Municipal Voluntária, apartir do dia 12 de dezembro de 2005, cabendo a Comissão Organizadora Voluntária Regional estabelecer até o dia 5 de junho de 2006, o prazo final para as inscrições, a data limite para entrega das propostas dos projetos e relatórios das práticas realizadas, afim de que  possam  ser encaminhadas à Comissão Julgadora Voluntária dentro de um limite de tempo para que a mesma analise e pontue as ações Ambientais fazendo uma triagem das propostas e projetos a serem defendidos no dia 08 de dezembro de 2006.

 

$ VIº- Para efeito de contagem de pontos no Protocolo rio Subaé as práticas Ambientais individuais deverão ser reconhecidas e relatadas por entidades filiadas junto à Comissão Organizadora Voluntária Regional.

 

$ VIIº- Os preços da filiação das entidades interessadas em participar do Protocolo rio Subaé deverão ser estabelecidos pela Comissão Organizadora Voluntária Regional no dia 10 de dezembro durante o Protocolo rio Subaé. Devendo ser cobradas taxas mínimas que possibilitem a postagem de correspondências, papel para impressão, cartuchos para impressora, xerox de materiais didáticos para apresentação nas reuniões, pilotos, cartolinas, água mineral e outros materiais de necessidade comprovada para o bom andamento dos trabalhos. Cabendo ao Coordenador da Comissão Organizadora Voluntária Regional, prestar contas dos gastos através de um demonstrativo de receitas e despesas a ser apresentado em público, afixado em mural para facilitar o conhecimento de todos.

 

$ VIIIº- Cada entidade poderá apresentar até duas propostas e dois projetos para serem submetidos a avaliação da Comissão Julgadora Voluntária dentro do seu setor(Rural, Urbano e Industrial), sendo que serão aprovados apenas um projeto e uma proposta por setor de cada Município com até 100 mil habitantes. Acrescentando uma proposta e um projeto para cada setor a cada 100 mil habitantes.

 

$ IXº- As práticas executadas, as propostas, os projetos e as informações inverídicas serão julgadas pontuadas e penalizadas respectivamente pela Comissão Julgadora Voluntária que deverá ser formada a convite da Comissão Organizadora Voluntária Regioal.

 

$ Xº- O  município que atingir uma maior quantidade de pontos será aclamado campeão e como prova do reconhecimento seus representantes OGs ou ONGs receberá uma faixa com as cores da bandeira brasileira e a medalha de CARBONO. Ao segundo colocado será oferecido uma medalha de hidrogênio e uma faixa com as cores do seu município representando a luta e a compreensão de todos pela participação em prol de uma causa justa. Aos demais competidores um certificado de honra ao mérito contendo as cores do arco-ires  simbolizando o esforço a união e o apoio às causas socio-Ambientais.

 

  OBS :

      A titulo de sugestão a FEB irá propor aos presentes na reunião de Dezembro de 2005, que se proceda a reunião anual de Dezembro de cada ano apartir de 2007 na sede do município campeão de 2006. E que a reunião do mês de junho seja realizada no município do vice-campeão.

 

 

 

CRITÉRIOS TÉCNICOS DO PROTOCOLO RIO SUBAÉ

 

Objetivo : Avaliar sensibilizar e motivar as comunidades Urbanas e Rurais da bacia hidrográfica do rio Subaé e seu entorno a utilizarem e preservarem seus potenciais naturais com sustentabilidade, respeitando os princípios básicos do Associativismo e da Educação Ambiental.

Município : X -  Zona Rural

ATIVIDADES PRÁTICAS

Ud.

Pts.

 

Quantidades                     Frut.    Somb. Nativa. Exot.

Total

Proposta apresentada e aprovada

ud

10a 200

 

 

Projeto apresentado e aprovado

ud

100 a

1000

 

 

Área Preservada  Nascentes

Ha

 

                         800

 

Área Preservada  Lagoas

Ha

 

                         600

 

Área Preservada  Riachos

Ha

 

                         500

 

Área Preservada  Rios

Ha

 

                         500

 

Área Preservada  Encostas

Ha

 

                         400

 

Área Preservada  Topo de morro

 

                         800

 

Área Preservada  barragem

 

                         500

 

Área Preservada  açúdes

Ha

 

                         600

 

Tanques

Ha

 

                         600

 

Plantio de Arvores em nascentes.

ud

30

 

 

Plantio de Arvores entorno lagoas.

Ha

600

 

 

Plantio de Arvores cílios riachos

Ha

 

500

 

Plantio de Arvores cílios rios

Ha

 

500

 

Plantio de Arvores encostas

Ha

 

400

 

Plantio de Arvores topo de morro

Ha

 

800

 

Plantio de Arvores cílios de barragem

Ha

 

500

 

Plantio de Arvores cílios de açúdes

Ha

 

600

 

Plantio de Arvores cílios de tanques

Ha

 

600

 

Plantio de Arvores em margem de estradas.

Km

600

 

 

Plantio  de Arvores em pastagem.

ud

30

 

 

Plantio  de Arvores como cerca viva.

Km

800

 

 

Plantio de Arvores em curva de nível..

Km

900

 

 

Plantio de Arvores em encostas declivosas

Ha

400

 

 

Plantio de Arvores em açudes e tanques

ud

30

 

 

Produtores Orgânicos/município(per-capta)

ud

600

 

 

Prevenção contra incêndios(aceiros)

Km

100

 

 

Floricultura

Ha

300

 

 

Pomicultura

Ha

 

500

 

Culturas de subsistencia convencional

Ha

 

100

 

Culturas de subsistencia orgánica diversific.

Ha

 

800

 

Apicultura: Colmeia produtivas (per capta)

ud

50

 

 

Agroecologia (propriedade)

ud

400

 

 

Pecuária Ecológica

ud

400

 

 

Agropecuária Ecológica(propriedade)

ud

600

 

 

Proteção de Aves nativas (p/espécie registr)

Ud

50

 

 

Répteis nativos (p/espécies registradas)

Ud

50

 

 

Peixes nativos (p/espécie registradas)

ud

50

 

 

Agua tratada(encanada) per-capta

%

%x10

 

 

Água subterrânea(sisterna) per-capta

%

%x10

 

 

Água subterrânea (poços artesianos) per-capta

%

%x10

 

 

Reservatório coletor Água chuva

ud

100

 

 

Cisternas coletoras per-capta

%

%x10

 

 

Fossas sépticas per-capta

%

%x10

 

 

Coleta seletiva do Lixo per-capta

%

%x10

 

 

Doenças + comuns per-capta

%

%x10

 

 

Escolas construídas 100/nº de salas/aula

ud

x/s.a

 

 

Caminhada Ecológica

 

 

 

 

Corrida Ecológica

 

 

 

 

Mutirão

 

 

 

 

Dia-de-campo

 

 

 

 

Reuniões Técnicas

 

 

 

 

Excursões Ecológicas

 

 

 

 

 

Município :  X -  Zona Industrial

ATIVIDADES PRÁTICAS

Ud.

Pts.

Frut.

Quantidades                     Frut.    Somb. Nativa.Exot.

Total

Proposta apresentada e aprovada

ud

10a 200

 

 

Projeto apresentado e aprovado

ud

100 a

1000

 

 

Plantio de Arvores

 

ud

20

 

 

Coleta seletiva

 

ud

100

 

 

Reciclagem

 

ud

200

 

 

Aproveitamento resíduos sólidos

 

ud

300

 

 

Aproveitamento resíduos líquidos

ud

400

 

 

Caminhada Ecológica

 

 

 

 

Corrida Ecológica

 

 

 

 

Mutirão

 

 

 

 

Dia-de-campo

 

 

 

 

Reuniões Técnicas

 

 

 

 

Excursões Ecológicas

 

 

 

 

 

 

Município :  X  -  Zona Urbana

ATIVIDADES PRÁTICAS

Und.

Pts.

Tipo

Quantidades                     Frut.    Somb. Nativa.Exot..

Total

 

Proposta apresentada e aprovada

ud

10a 200

 

 

 

 

Projeto apresentado e aprovado

ud

100 a

1000

 

 

 

 

Plantio de Arvores nas nascentes no entorno das e lagoas, nos cílios dos rachos e rios perenes.

ud

20

10

F=    

S=

 

 

 

Plantio de Arvores em logradouros públicos.

ud

10

05

F=    

S=

 

 

 

Rede de abastecimento de Agua tratada (encanada) per-capta

m

%x10

 

 

 

 

Água subterrânea (cisterna) per-capta

Ud

%x10

 

 

 

 

Água subterrânea (poços artesianos) per-capta

Ud

%x10

 

 

 

 

Rede de Esgotamento Sanitário per-capta

M

%x50

 

 

 

 

Aterro sanitário (total=500, parcial=100 e lixo a céu aberto em áreas planas  0; em áreas declivosas -50)

ud

 

 

 

 

 

Coleta seletiva do Lixo nas Escolas Publicas .

ud

%x10

 

 

 

 

Coleta seletiva do Lixo nas Escolas Particulares .

ud

%x10

 

 

 

 

Coleta seletiva do Lixo nas residências, ruas e bairros .

%

%x10

 

 

 

 

Coleta seletiva do Lixo na cidade.

%

%x10

 

 

 

 

Coleta seletiva do Lixo nos distritos

 

%x10

 

 

 

 

Analfabetismo per-capta .

%

%x10

 

 

 

 

 

Und.

Pts.

 

 

 

 

Doenças contagiosas +comuns per-capta

(%)

%x10

 

 

 

 

Cultura Popular(Entidades culturais) per-capta

%

%x10

 

 

 

 

Esporte (Agremiações esportivas) per-capta

%

%x10

 

 

 

 

Lazer popular (praças com parques, quadras esportivas etc...)..... per-capta

%

%x10

 

 

 

 

Rádios........................ per-capta

 

 

 

 

 

 

Jornais........................ per-capta

 

 

 

 

 

 

Cinema......................  per-capta

 

 

 

 

 

 

Teatro                          per-capta

 

 

 

 

 

 

Caminhada Ecológica

 

 

 

 

 

 

Corrida Ecológica

 

 

 

 

 

 

Mutirão

 

 

 

 

 

 

Dia-de-campo

 

 

 

 

 

 

Reuniões Técnicas

 

 

 

 

 

 

Excursões Ecológicas

 

 

 

 

 

 

 

Obs:

Uma arvores frutífera com frutos comestíveis plantada, equivale Ecologicamente a uma e meia arvore de sombra melífera sem frutos comestíveis e a duas arvores de sombra que não seja melífera nem frutífera comestível. AF = 1,5AM e 2AS.

 

PROGRAMAÇAO DO PROTOCOLO RIO SUBAÉ  (sugestão)

7:30 as 9:00h – Recepção e inscrições das entidades, ouvintes e convidados.(cores crachas).

9:00h as 9:30h- Formação da mesa com autoridades presentes ou representadas. Hino Nacioal- Fala resumida de apenas uma das autoridades da mesa.10minutos.

9:30h as 10:00h-Palestra sobre Educação Ambiental e a importância do Protocolo rio Subaé..

10:00h as 10:15h – intervalo p/cafezinho.

10:15h as 10:45h- Palestra sobre Agropecuária Ecológica.

10:45h as 11:15h- Coleta Seletiva e sua importância Ecológica.

11:15h as 11:45h- Reciclagem e sua importância socio-ambiental.

11:45h as 12:00h- Proposta para formação da comissão organizadora voluntária do Protocolo Rio Subaé entre os representantes presentes.

12:00h as 13:30h – Intervalo para almoço. Comida caseira  a preços populares.

13:30h – 14:00 – Auto apresentação dos membros da comissão Organizadora voluntária,   iniciando pelo Coordenador(Nome, entidade, Município), endereço para contatos.                   

                            Leitura,  sugestões e aprovação do regulamento do Protocolo rio Subaé.

14:00h as 15:00h – Leitura. Sugestões e Aprovação dos critérios técnicos para pontuação.

15:00h as 15:15h – Intervalo para cafezinho.

15:15h as 15:45h - Pré-requisitos para iniciar a contagem de pontos.

                            Sugestões para a próxima reunião anual do dia mundial do Meio Ambiente(05/06/06).

                               Local = A ser colocado em votação com os presentes inscritos.

                              Pauta = Sugerimos palestras e práticas Ecológicas(Oficinas para treinar elaboração de propostas e projetos. Momento para apresentar a comissão Julgadora voluntária aos presentes, aperfeiçoar os critérios Técnicos de avaliação do Protocolo rio Subaé e sugerir a próxima reunião anual do Protocolo rio Subaé onde haveremos com o apoio da comissão julgadora elevar a categoria de Município Campeão Ambienta da bacia hidrográfica do rio Subaé aquele que mais pontuou positivamente em defesa da qualidade de vida dos ceares vivos do seu território.

15:45h as 15:00- Compor a mesa para ouvir sugestões, críticas construtivas e agradecimentos finais da platéia e da mesa encerrando com o canto do hino de Independência da Bahia.

 

               Será necessário contatos e ação socio-ambiental junto as Escolas, Igrejas, Entidades, Empresas, Logradouros públicos, mídia local e regional para fortalecer a consciência Ecológica, minimizando os impactos ambientais, melhorando a nossa qualidade de vida e protegendo o rio Subaé, sua bacia hidrográfica e seu entorno.

                 Acreditamos que a responsabilidade é de todos nos, portanto cabe a cada um fazer a sua parte pensando racionalmente no futuro dos seus descendentes, participando, sugerindo informando e Educando.

 

                  Lembre-se: O GOVERNO NÃO MUDA, NOS  MUDAMOS O GOVERNO.

O sucesso do Protocolo Rio Subaé depende de você, participe junte-se a nós.

Quer mudar para melhor, juntos  mudaremos.

Este rascunho de PROTOCOLO está sendo colocado para que você possa contribuir sugerindo, acrescentando, resumindo, para que a cada dia possamos enriquece-lo mais.                  

 

                                                                                                  Saudações Ecológicas.

 

 

PROTOCOLO RIO SUBAÉ(Participe e divulgue  esta causa è nossa).

 

A Fundação Ecológica Buriti (FEB) e a Comissão Organizadora Municipal de São Gonçalo dos Campos convidam às Organizações Governamentais, não Governamentais e a sociedade em geral da bacia Hidrográfica do rio Subaé e seu entorno (Feira de Santana; São Gonçalo dos Campos; Santo Amarão; São Francisco do Conde; São Sebastião do Passe; Amélia Rodrigues e Conceição do Jacuipe) e outros a participarem do Protocolo rio Sugaé, exercendo sua Cidadania através de competições Ambientais saudáveis, visando a conservação e restauração das riquezas Ambientais da região.

Data – 10 de DEZEMBRO de 2005. Cidade de São Gonçalo dos Campos- BA.

Local – Cine teatro Centenário- Rua Aníbal Pedreira S/N- Centro. Das 7:30h.às 16:30h.

PROGRAMAÇÂO :

Manhâ- Inscrição gratuita; Abertura; Palestras(Agropecuária Ecológica; Coleta Seletiva e Reciclagem).

12:00h. às 13:30h- Almoço - Comida careira  a preços populares.

Tarde - Escolha da Comissão Organizadora Regional; Leitura e aprovação do Regulamento dos Critérios Técnicos; Informes entrega dos certificados e Encerramento.

Contatos : FEB – Pedro Paulo – (75)- 32210303- 91922087-E-mail-burifeb@uol.com.br.

Comissão Organizadora Municipal – Profª Ana Rita -Secretária da Educação Municipal.

(75)- 32462524 –91436337.