Notícias

12/03/2018 06:40

Reunião esclarece situação das empresas terceirizadas que prestam serviços à Uefs

Prestar esclarecimentos acerca da atual situação das empresas terceirizadas que prestam serviços para a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) foi o intuito da reunião promovida pela Administração Central da Universidade, no último sábado (10).  Centenas de trabalhadores terceirizados participaram do evento que ocorreu no hall do Auditório Central e contou com a presença do reitor da Uefs, professor Evandro do Nascimento, e do chefe da Unidade de Insfraestrutura e Serviços (Uninfra), Saulo José Rocha.

De acordo com o reitor, os atrasos salariais estão ocorrendo por falhas das próprias empresas terceirizadas. “Enfatizamos que a Uefs tem condições financeiras de pagar às empresas, mas estas não estão com a documentação regularizada, e descumprem os contratos. Por isso, mudanças serão feitas e novas empresas serão contratadas em caráter emergencial. As empresas atuais serão penalizadas administrativamente dentro do que permite a legislação estadual”, explicou.

Participaram da reunião, que foi dividida em dois momentos, trabalhadores da segurança, da limpeza, carga e descarga, telefonia, jardinagem, creche e manutenção predial. Na oportunidade, o chefe da Uninfra, Saulo Rocha, detalhou a situação específica de cada empresa responsável por categoria de serviço.

No decorrer do diálogo, os terceirizados tiveram a oportunidade de tirar dúvidas e aprovaram a iniciativa da Administração Central da Uefs. “Achei muito proveitosa a reunião, tudo ficou esclarecido e, por isso, agora me sinto mais segura. A gente estava precisando de um momento como esse”, declarou Marizete Sena, que atua na segurança. Já para Edilson Santos, trabalhador da manutenção, “a reunião mostrou que eles estão preocupados com a gente e não estão escondendo nada do que está acontecendo”.

O reitor da Universidade destacou ainda que a intenção em realizar a reunião foi a de tratar com respeito e transparência os trabalhadores terceirizados. “A Administração da Universidade se solidariza com nossos trabalhadores terceirizados e envidará todos os esforços para superar esse quadro atual”, completou.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.