Notícias

03/08/2017 09:30

Propaae e moradores das residências universitárias se reuniram para tratar das propostas de resoluções do PAE


A Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis – Propaae realizou reunião com os moradores das Residências Universitárias para tratar da proposta do Programa de Assistência Estudantil da Uefs – PAE/Uefs.

A discussão com os moradores da Residência Tradicional aconteceu no dia 20 de julho, no Anfiteatro do Módulo II, às 9h, momento no qual os estudantes expressaram suas opiniões e entregaram uma carta e um abaixo assinado como manifestação de desacordo com as resoluções em discussão. Após esclarecimentos da pró-reitora da Propaae foi estabelecido um consenso para garantir o diálogo e a realização de oficinas, a serem iniciadas se possível, ainda em agosto, para construção de uma nova proposta do Programa de Assistência Estudantil com a participação da comunidade universitária. A Propaae se comprometeu com a realização das oficinas salientando que utilizará como parâmetro as propostas de resoluções apresentadas e colocadas para discussão visando possibilidades de implantação.

No dia 29 de julho, às 14h, foi a vez de ouvir os estudantes da Residência Indígena, na Sala dos Conselhos na Reitoria. O grupo se colocou a respeito das resoluções, esclareceu algumas particularidades da cultura indígena, apresentou alguns aspectos que precisam ser considerados e permitiu que a Propaae pudesse apresentar os pontos de partida para a construção das propostas. Os estudantes indígenas pretendem apresentar alterações às resoluções de modo a contemplar alguns aspectos de sua cultura e corrigir pontos que podem ser melhorados segundo sua análise. A Propaae colocou a possibilidade de realização das oficinas consensuadas na reunião com a Residência Tradicional e fez o convite para que os indígenas também possam participar, e estes ficaram de confirmar as datas apresentadas.

A Propaae segue no processo de discussão das propostas de resoluções para o PAE e continua aberta ao diálogo com toda a comunidade universitária na certeza de que o Programa de Assistência Estudantil é necessário e urgente para atender aos estudantes em situação de vulnerabilidade social e situações emergencias, além de adequar a sua operacionalização ao que orientam a Auditoria Geral do Estado - AGE e a Defensoria Pública do Estado da Bahia.


Feira de Santana, 03 de agosto de 2017


Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.